Dicas para não ter a moto apreendida

Navegue de forma fácil

Ao ver o reboque do Detran com vários veículos apreendidos, muitas perguntas vêm a cabeça; dentre elas quais os procedimentos devem ser realizados para não ter a moto apreendida. Há quem diga ‘fugir’ de blitz, mas acredite, não é a melhor opção.

Veja neste artigo todos os requisitos que o motorista deve ter para não ter a moto apreendida e andar tranquilamente nas ruas; sem medo ou fugindo das blitz.

Como não ter a moto apreendida?

A apreensão de motos é realizada pelo Departamento de Trânsito (Detran). E isso ocorre quando o piloto está andando irregularmente. Isto é, com débitos atrasados ou vertentes do gênero que serão exploradas posteriormente.

Visto que apenas isso resulta na apreensão da moto, entretanto, há uma exceção; andar sem CNH não permite que os agentes apreendam a moto, a saber, apenas se ninguém habilitado for recolhê-la.

Dessa maneira, a principal dica para não ter a moto apreendida é andar com ela em dias, sem tributos pendentes ou multas resultantes. Veja detalhadamente acerca de cada fator.

Documentação irregular

Em geral, a maioria das apreensões que ocorrem nas ruas do Brasil são em razão da documentação irregular dos veículos. Visto que após a compra não é realizada corretamente a transferência, isto é, tanto no cartório como no Detran. E andar com essa pendência resulta em multas.

Visto que é necessário passar por uma vistoria, que são analisados os elementos da moto; tal como estado de conservação, pneus e itens de identificação. É cobrado taxas adicionais, e muitas vezes as pessoas optam por despachantes.

O procedimento é simples de ser feito, e é agendado dentro do site do Detran; entretanto, através de despachantes o procedimento por vezes é mais rápido e há quem diga que chances de aprovação aumentam.

Equipamentos irregulares

Andar com a moto suja, pintada ou coisas do gênero, não resultam em apreensão do veículo. Tal como andar com chinelo e sem camisa. Esses fatores o máximo que resulta é em multa; entretanto, é necessário que os itens essenciais da moto estejam corretamente em uso.

Tal como os piscas, farol, buzina e pneus. Caso o estado esteja mal ultrapassando o limite, o veículo é apreendido por impossibilidade de trafegar nas ruas.

Entretanto, é raro uma moto ser apreendida por coisas simples; mas é de suma importância conferir todos os elementos da moto antes de sair e correr o risco de passar por uma possível blitz.

Manobras

Há quem se aventure nas ruas realizando manobras e coisas do gênero; e isso é cabível de recolhimento do veículo. A fim de ser tomada as devidas providências; tal como também a poluição noturna oriunda dos equipamentos e escapamento das motos.

Visto que é uma perturbação ao sossego público, e isso é crime; e caso seja validado, é motivo suficiente para guinchar a moto e ser recolhida para os pátios do Detran.

O que fazer quando a moto é apreendida?

É necessário verificar todos os motivos que levaram à apreensão da moto, e ir resolvendo cada um. Visto que a moto fica 90 dias nos pátios do Detran. E isso, resulta em taxas de diárias. Ou seja, cada dia é uma taxa a ser paga.

Motos que ficam no pátio vão para leilão, e até o dia do leilão, é possível resgatar mediante o pagamento das taxas e tributos. Ademais, será transferida para uma outra pessoa.

Portanto, para não ter a moto apreendida o melhor começo é se prevenir; e não evitar passar por blitz, mas sim, regularizar a moto e andar tranquilamente, sem medo ou frio na barriga.